What about Nobu? É dos melhores de NYC

To request this post in english, please click here

Devido a pedidos insistentes, protestos públicos e ameaças anônimas, vou escrever sobre os restaurantes de “fora”, também conhecido como “gringos” em português. Durante muito tempo relutei em fazer isso, acreditando na boa vontade e capacidade dos milhares de cursos de inglês do Brasil (CCAA, Number One, Brasas, etc. etc.), mas li num site de blogs que é recomendável manter apenas uma língua como padrão. Como tenho preguiça de fazer duas versões do site (ainda), vou escrever na língua de 90% dos visitantes.

Signature Dish do Nobu

Voltando à vaca fria, quer dizer, ao sashimi cortado, eu tinha um certo desejo de conhecer o Nobu pessoalmente. Falo pessoalmente pq o restaurante que tem como sócio Robert de Niro é um dos mais falados dos EUA.

Com filiais ao redor do mundo, incluindo Londres, Cidade do Cabo e Melbourne, o restaurante aposta num menu sofisticado e principalmente no ambiente. Aliás, o ambiente do Nobu e sua clientela levantaram uma fama de pretencioso ao lugar. No livro da Danuza Leão, Fazendo as Malas, ela elogia o fato dos franceses terem torcido o nariz para a filial parisiense da rede, que já foi fechada. Discordo totalmente da famosa jornalista. Manter um restaurante fancy em Paris é tarefa das mais difíceis na complicada capital francesa, mas não é só pq um lugar tem um Buda gigante e clientes famosos que deve ser considerado pretencioso, pois o Nobu não o é.

Não ser pretencioso, explico, é oferecer uma experiência de gastronomia e entretenimento compatível com o preço (salgado, sim) do lugar. O Nobu tem estilo, a garçonete que nos atendeu na casa original em Tribeca, NYC, era sensacional. Eu pedia uma coisa, ela falava: “acho que vc não devia comer isso, vem pouco e não é tão especial, prove este prato aqui”. Ela acertou em todas as indicações, exceto pela sobremesa (um tal de Bento Box horrível).

A comida é muito boa, realmente. Os caras conseguem ousar no cardápio mantendo uma linha de conforto para os Clientes mais tradicionais. Todos os pratos eram muito bem decorados (decorar prato não é ser pretencioso, Danuza!) e a música ambiente podia até estar um pouco mais alta.

A região do restaurante também é um caso a parte. A Tribeca (significa Triangle Below Canal Street pra quem – como eu – não sabia) vem recebendo cada vez mais atenção e novos empreendimentos e está se transformando numa região muito gostosa da Big Apple. O próprio De Niro mora lá e investe muito na comunidade.

Pra quem gosta de ver e ser visto, comendo bem num lugar massa, o Nobu vale as verdinhas (não serão poucas) em New York. Quem conheceu o Nobu de algum outro lugar e tem uma história pra contar, deixe um comentário que eu aprovo ;-). É um lugar, como diria minha avó, metido a besta.

Notas:

Ambiente: 5/5
Serviço: 5/5
Pratos: 4/5
Sobremesa: 3/5

Nota Final: 8,5

 Preço: $$$$ e ½ / 5

Anúncios

Autor: hungrygoat

Chasing the perfect restaurant

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s