Trinta motivos pra comemorar os meus trinta no Rio

Pior coisa do mundo é fazer trinta anos. É o momento onde vc deixa de ser uma pessoa nova, sob todos os aspectos, e passa a ser totalmente adulto, ou seja: um saco. Pra comemorar minha entrada no mundo adulto (eu realmente esperei até o último minuto), decidi rascunhar sobre os motivos gastronômicos que podem me deixar feliz em passá-los na cidade maravilhosa. Algo assim:

1) O omelete com brie do Cafeína: o ovo é o alimento mais injustiçado de todos os tempos. Gostoso, saudável, prático e versátil, tornou-se alvo fácil de empresas de cereais sem graça que queriam mais espaço no café-da-manhã. No Cafeína, o omelete com brie vem no ponto certo pra fazer vc começar muito bem o seu dia.

2) Totivendo (qualquer um) do Chico e Alaíde: quem nunca foi no C&A não entende a alma butequeira carioca. O Chico, pessoa extremamente simpática, comanda um dos bares mais movimentados do Leblon ao lado da Alaíde e cia. que fazem do seu escondidinho uma obra prima dos petiscos. Imperdível.

3) Drink Mekong, do Mekong: imagine uma bebida que te deixa … inebriado com uma dose. O gosto é diferente de tudo que vc já provou em matéria de drinks. Mesmo tendo lichia no seu preparo, não é girlie, pelo contrário, o Mekong é potente o suficiente pra vc pedir um refrigerante na hora que a comida chega.

4) Todas as picanhas do mundo no Porcão Rio’s: sinceramente, eu nunca acreditei que iria num rodízio para comer exclusivamente picanha. Vc pode fazer isso no Porcão. A vista do Pão de Açúcar, a cara de assustado dos turistas japoneses, nada isso é tão marcante como a ponta de picanha do Porcão. Faça amizade com o garçom e exija só o melhor quando chegar!

5) As surpresas da Roberta Sudbrack: eu ia falar da lichia recheada com foie gras, ou das sobremesas simplesmente deliciosas, ou da simpatia da chef mais antenada do Brasil… então melhor falar de tudo e lembrar que o Rio tem, sim, uma opção internacional de menu degustação.

6) A empada de camarão do Belmonte: fartura. essa é a palavra que define os petiscos do Belmonte. Acompanhe um bom atendimento e chopps consistentemente gelados.

7) O couvert do Plataforma: não quero ser acusado de ser pão-duro, mas várias vezes desejei ir ao Plata só pra comer o couvert. Pão de queijo, patê, torradas, linguiça… vale o ingresso!

8 ) Biscoito Globo no Posto 11: como deixar de falar do mais carioca dos quitutes industrializados? E como achar lugar melhor pra comer biscoito Globo que não na praia?

9) Comer de tudo no Venga!: eu sugiro o aspargos molhado no ovo (again) com flor de sal. Tem gente que gosta do polvo, outros gostam da sobremesa de chocolate com azeite (!)… então coma tudo, sempre acompanhado das excelentes sangrias (também sugiro provar todas).

10) Astoria com catchup e chips de bacon no Andy’s: num lugar onde todos os hot dogs serão os melhores que vc já comeu na vida, a minha escolha é o quase-tradicional Astoria, à moda antiga. De sobremesa peça o milk. De Ovomaltine, claro.

11) O sensacional sorvete de figo do Mil Frutas: se vc comia figo na infância, vai ter lembranças remotíssimas com esse sorvete, uma verdadeira perfeição gelada. Se vc não comia figo quando criança, não teve infância, né?

12) Três horas de café-da-manhã na Escola do Pão: compre uma revista. Leia devagar. Coma tudo o que oferecerem até não aguentar mais. Descanse com um suco de laranja fresco. E repita os primeiros passos quantas vezes for necessário.

13) Treze não é de azar… Financier do Vintage Café: adoro coisas simples muito boas. O financier do Vintage, em Botafogo, nem é de lá, é daqueles de saquinho, comprado de algum lugar simples. Simplesmente perfeito.

14) Galeto do CT Brasserie: Falar que o melhor prato de um dos restaurantes do Claude Troisgos é uma galinha desossada pode parecer falta de respeito. Longe disso, nesse prato o Claude chegou a uma combinação excelente, elegante, brrrassileirrra e deliciosa.

15) Tarde de exageros no Majórica: não importa o que vc coma, tudo no Majórica tem um gosto diferente. Aos 50 anos, mas em plena forma, o mais tradicional espanhol do Flamengo, e do Rio, evoca pensamentos imediatos de início de dieta para o dia seguinte.

16) Peking Duck do Mr. Lam: hummmmm… não se preocupe, não é pq o restaurante é o Eike Batista que vc tem que ser bilionário para comer lá. Só milionário… é caro sim, mas tem muita coisa que vale a pena e a grana no Mr. Lam e o peking duck é o melhor exemplo.

17) Queimar a língua no Sawasdee: escolha qualquer prato pelo índice de tempero no Sawas (para os íntimos). Todo o menu do excelente asiático da Dias Ferreira, no Leblon, tem gosto de Tailândia (é um gosto bom).

18) Ser mimado no Fasano Al Mare: a comida internacional do mais car… charmoso dos hoteis de Ipanema é apenas um dos sabores que vc prova nesse excepcional restaurante. A extensa carta de vinhos e o menu clássico são sempre acompanhados do melhor atendimento do mundo. E não tem sabor melhor que esse.

19) Suco de Coco e/ou Açaí no Bibi Sucos: eu tenho uns gostos meio exóticos, mas suco de coco não é nenhuma extravagância. A diferença é o astral da lanchonete mais famosa para antes e depois da praia do Leblon.

20) Bate papo com cerveja no Bracarense: se alguém descobrir o segredo do Braca (para os… tô brincando), me conta que eu abro um bar do mesmo jeito. Sempre cheio, só de conseguir uma mesa vc já se sente um vencedor.

21) Sentir-se na Itália no Gero: restaurante da famiglia Fasano, o Gero é – literalmente – uma caixinha de boas surpresas. O discretíssimo restaurante da Aníbal de Machado, em Ipanema, surpreende também com uma comida sensacional.

22) Descobrir os sabores do Olympe: mais um do Claude Troisgos, o Olympe é o “carro-chefe” da alta gastronomia do chef e impressiona do couvert ao café. Difícil não gostar de algo e igualmente difícil achar o restaurante, no charmoso Jardim Botânico.

23) Picadinho do almoço do Sebastiana Bistrô: depois de testar algumas fórmulas no almoço, o Sebá chegou a um ponto bom e tem uma mesa de buffet que parece almoço na casa da avó. Com pratos muito bem feitos, comemore se for dia de picadinho de carne, que acompanha perfeitamente a gostosa farofa e o clima de almoço caseiro.

24) Sushi do fim de tarde de domingo no Bar da Praia: vá à praia. Fique lá por no mínimo 4 horas. Saia e vá direto ao Bar da Praia e peça todos os sushis do mundo. O rodízio com poucas, mas muito bem feitas opções, tem também o melhor hot philadelphia da cidade.

25) Salada Caprese do Focaccia: esqueça tudo o que vc conhece de salada caprese. Uma burrata, tomates cereja, manjericão e uma bela apresentação para um clássico das dietas.

26) Ver o por-do-sol no Garota da Urca: acompanhado da cerveja gelada, com o visual mais cool de um bar “quase” de praia. Invariavelmente acompanhado de uma boa conversa com frequentadores do bar.

27) Experimentar no Sushi Leblon: pegue o cardápio do restaurante, após ter esperado quase duas horas na fila e peça qualquer coisa que vc não conhece. Garanto que funciona. Comida japonesa fica chata quando é muito repetitiva.

28) Bruschetta de Foie Gras da Prima Bruschetteria: vale. custa o dobro das outras bruschettas do lugar, simpático e quase sempre lotado restaurante do cantinho do Leblon, mas é uma obra-prima em matéria de bruschettas. Para acompanhar peça uma Colorado Cauim.

29) Rodízio de acompanhamentos da CT Boucherie: genial a ideia do CT em colocar os acompanhamentos para as excelentes opções de carne do lugar. Tipo rola um ratatouile que deve ser igual ao do filme, legumes e vários etcéteras deliciosos.

30) Por último, uma homenagem à boemia carioca: o sanduíche do Cervantes: quando cheguei no Rio, só saía do trabalho no horário que o único “restaurante” aberto era o Cervantes… pois bem, fiquei fã.

Ufa! Tem vários outros motivos pra comemorar no Rio, mas qual a graça de falar de todo mundo sem causar uma polêmica??

Anúncios

Já que o assunto é Porcão… qual o melhor restaurante da rede?

Se você procura informações sobre o processo de licitação do Porcão Rio’s, seu lugar é aqui ou aqui.

Se você quer saber qual o melhor restaurante da rede Porcão no Brasil, seu lugar é aqui mesmo. Infelizmente vou limitar minhas análises às unidades que conheço: Porcão Rio’s, no Aterro do Flamengo, recentemente envolvida numa batalha judicial pela licitação de aluguel do imóvel, Ipanema, Belo Horizonte, Brasília e Barra. Eliminadas por falta de conhecimento as unidades da Ilha e de Niterói.

Ambiente:

Barra: cara de churrascaria normal com preço alto não valeA coisa mais importante de uma churrascaria rodízio (ou espeto corrido, como falam no Sul) é exatamente não se parecer uma churrascaria. Lugar mais desagradável do mundo é um salão enorme com cheiro de carne, confusão e buffet à la Vegas. A rede Porcão não segue uma linha muito clara na ambientação das suas unidades. Em Ipanema e na Barra, você tem a sensação de estar num Pampa Grill (no offenses) sofisticado. Teto baixo, sem vista, local fechado e mesas dispostas uniformemente diante de um grande salão, that’s what I’m talking about. Os caras conseguiram fazer um excelente trabalho em BH, cidade dos Horizontes, com uma vista sensacional e um lugar muito bonito também por dentro. Na unidade Rio’s, a vista do Pão de Açucar e o movimento do Santos Dumont deve valer uns R$ 100 mil de aluguel, sem brincadeira e até em Brasília a vista do Lago é sensacional.

Notas para Ambiente:

Brasília: 4
BH: 4,5
Rio’s: 5
Ipanema: 2,5
Barra: 2,5

Serviço:

Brasília tem vista bonita, mas fica muito cheio muito cedoNesse quesito, mais uma vez, Less is More. Os economistas vão me matar, mas eu queria só ir ao Porcão quando está mais vazio. Aí o atendimento é uma beleza. Qual a carne você prefere? De que jeito? Qual garçom? etc. etc. A rede Porcão, de fato, tem bom atendimento, mas algumas casas lotam mais que as outras, perdendo um pouco em qualidade. Acontece:

Notas para Serviço:

Brasília: 3 – lota todo almoço
BH: 4
Rio’s: 3,5 – lota domingo
Ipanema: 4
Barra: 4

Pratos:

A picanha de BH é quase perfeita. Assim como a vista.Não tem diferença. Os caras são tipo o Mc Donald’s das churrascarias, o Big Mac, quero dizer, a Picanha, é excelente em todas as unidades, mas estranhamente tem um gosto especial no Porcão Rio’s. Talvez por ser a maior casa da rede, mas vale a pena ir lá só pra comer essa tal de picanha? Eu gosto muito de carne, então pra mim valeu a pena.

Notas para Pratos:

Brasília: 4
BH: 4
Rio’s: 4,5
Ipanema: 4
Barra: 4

Sobremesa:

A garota de Ipanema também tem que comer sobremesa velha do carrinhoEu não gosto do carrinho de sobremesas de ontem do Porcão. Sério, parece aqueles forninhos de restaurante de beira de estrada que você pode dar sorte de pegar a empadinha de ontem ou azar de pegar o quibe da semana passada. Nem as bananas flambadas com estilo me seduzem. Prefiriria uma picanha com chocolate, mas sou bode e como coisas estranhas mesmo.

Nota 2 pra todo mundo.

Avaliação final:

notas porcão

O grande campeão: Porcão Rio's, até quando, hein?Tendo sido muito cruel com a nota da sobremesa, o Porcão ficou com um 6,8 como nota final. Bom pra aprender a cobrar caro e ir bem do início ao fim. A boa notícia é que vale muito a pena ir em BH e na unidade Rio’s, enquanto que as outras perdem um pouco do charme.

Espírito de Porco: licitação do Porcão Rio’s pega fogo em novo capítulo

porcao-rios-2Em um novo capítulo na justiça, a mudança do imóvel do Aterro do Flamengo, onde fica o Porcão, foi novamente adiada.

A 6ª Vara da Fazenda Pública do Rio concedeu uma liminar a favor do Porcão afirmando que a empresa Garcia & Rodrigues encontra-se com diversas irregularidades em relação  a Impostos, PIS, Cofins, etc. e que nunca poderia ter sequer participado do processo de licitação.

Aguardem novos e quentes capítulos.

BOMBA: O fim do Porcão Rio’s

Um lugar maravilhoso
Um lugar maravilhoso

O fim de uma era não é o fim do mundo. Na última semana a prefeitura do Rio de Janeiro definiu, em processo de licitação, que o imóvel hoje ocupado pela tradicional rede de churrascarias carioca Porcão terá novo morador, a rede Garcia & Rodrigues. Assim que a notícia foi divulgada, iniciou-se extenso debate sobre a validade de tal processo e a irreparável perda da identidade de um restaurante que virou um ícone da boa comida carioca. Apesar de toda a discussão a respeito de temas legais no processo de licitação (novidade?), liminares e mais liminares devem dar o tom da disputa agora e quem perde com isso são os Clientes, que não devem ver novos investimentos da rede Porcão até esta decisão e ainda vão ter que esperar muito tempo para ver o bom dinheiro do aluguel revertido para melhorias na cidade.

Caso de amor com o Rio

Não, o Porcão não nasceu naquele lugar maravilhoso, que fica ao lado do Aeroporto Santos Dumont com uma vista de tirar o fôlego para o Pão de Açucar. A rede surgiu no centro da cidade e só foi para o local há 11 anos, vencendo outro processo de licitação. A melhoria do local, antigamente ocupado pelo “Rio’s” (não conheci) é visível. O Porcão Rio’s deve ser o restaurante de maior faturamento da cidade, já que o lugar é espaçoso e a conta é salgada como a boa picanha que servem.

O ambiente sempre foi um ponto alto do Porcão
O ambiente sempre foi um ponto alto do Porcão

No processo de licitação, a oferta do Porcão ficou em R$ 24,9 milhões de reais pelos 6 anos de aluguel, enquanto que a rede Garcia & Rodrigues ofereceu R$ 36,9 milhões. A diferença é bem clara, são R$ 12 milhões a mais para os cofres da cidade e, independente do correto uso da bolada, como contribuintes devemos estar felizes com tal evolução. A saída da churrascaria, aliás, pode abrir espaço para mais inovações no Porcão, abertura de novas filiais como as excelentes que a rede possui em BH e em Brasília, portanto não vejo nada disso como um problema.

Vai ser traumático um domingo no Rio sem sua melhor churrascaria. O Porcão não é o mesmo em outros lugares, mas podemos nos surpreender com uma proposta ainda melhor e um aumento na competitividade, isso é bom pra cidade. O Porcão não é o Maracanã, não vão demolir o Cristo nem terraplanar a Lagoa pra construirem um estacionamento: o Porcão é só um restaurante. Que agora tem que buscar uma nova forma de se realizar ou provar rapidamente algum erro no processo.