Duelo de Pizzaiolos no Rio: Capricciosa ou Bráz?

O Rio nunca foi cidade pra se comer pizza de qualidade, comparando com SP? É a mesma coisa que falar que o basquete nacional é pior que a NBA… SP deve ser a melhor cidade do mundo pra se comer pizza, então esse tipo de comparação é aquilo que podemos chamar de estupidez, ou burrice, pra ficar mais tranquilo.

Pizza na Capricciosa: tem certeza que pizza é tudo igual?
Pizza na Capricciosa: tem certeza que pizza é tudo igual?

Bem, recentemente a cidade ganhou novas opções em pizzas que estão se destacando – e muito – por críticas excelentes e salões sempre lotados. Um fato é que vc não consegue comer pizza após as 8 da noite sem esperar uma boa meia-hora. Sim, estou falando da Capricciosa e do Bráz, as duas estrelas napolitanas cariocas. Com propostas um pouco diferente, mas dividindo a mesma atenção, muita gente tem a sua “queridinha” entre as pizzarias TOP do Rio. Outros lugares também são frequentemente lembrados, mas a vida é injusta e o bode quer avaliar só essas duas opções. Depois eu passo nos outros lugares e coloco aqui se gosto ou não, mas a questão agora é: Será que a bola está tão cheia assim? E onde que é melhor? Vamos lá:

Ambiente:

Bráz: com cara de happy hour
Bráz: com cara de happy hour

Vc pode escolher entre o ambiente “paulista” do Bráz, cheio de cara de happy hour (e funciona muito bem pra isso), mas arrumado como todo lugar novo deve estar ou a cara descolada da Capricciosa, uma casa digamos “patricinha”. Tudo no seu lugar, ambiente por ambiente, vá de acordo com a ocasião. Lugar por lugar, a Capricciosa chama mais atenção, por isso fica com meu voto (por pouco). Outro ponto legal da Capricciosa é a divisão de ambientes, que facilita a vida de quem está esperando e pode pegar um “pratinho” e ficar comendo no Wine Bar.

Serviço:

Ok, vc vai ter que esperar. Aqui ou acolá. Depois de 9 e antes das 11 fica impraticável ir a qualquer uma das opções. O serviço é muito bom, atencioso e em volume adequado de garçons nos dois restaurantes. Ponto negativo para a Capricciosa de Ipanema (again) que o garçom esqueceu meu pedido de entrada e errou o vinho. 😦

Pratos:

Na Capricciosa ela fica com uma cara mais artesanal, mas alguém ainda vai ter que me convencer pq a Margherita é tão ruim! (1 folha de Manjericão + 1 tomate + qualquer queijo do mundo = me passa um catchup?). As outras opções são excelentes realmente.

No Bráz o ponto alto são as entradas. Animal! Td muito bom pra deixar vc feliz de cara, quase pensando: “o que vier é lucro”. Realmente é: a pizza estava muito boa, agradou todo mundo.

Preço: Mesmo nível: caro, porém compreensível.

Notas finais:

Capricciosa x Bráz

Ambiente:  5 x 4
Serviço: 3×4
Pratos: 3×4
Sobremesa: sem avaliação

Nota Final: 7,0 x 8,0

Preço: $$$$ / 5 em ambos.

 

Bráz: Campeão Mundial de Pizza Carioca
Bráz: Campeão Mundial de Pizza Carioca

Conclusões:

Tecnicamente, vc vai se dar melhor no Bráz. Isso não quer dizer que a Capricciosa seja ruim, apenas varia mais de qualidade dependendo da escolha. Pelo menos o Rio já tem opção melhor que o Domino’s 😉

Anúncios

NYC Hungrygoat’s Guide: Nice Breakfast @ Pasti’s

Pasti's is a breakfast breakdown
Pasti's is a breakfast breakdown

Some might say they love a calm relaxing breakfast to start the day or they’d rather not spending one hour waiting to be seated just to eat eggs and bacon. Well, well, well… I used to agree with this before I met Pasti’s.

This small restaurant in the Meatpacking District is 100% NY. Some might say that after “Sex and the City” and celebrity visits this noisy restaurant is now overrated and I don’t doubt some exagerated saying Pasti’s is the best place they ever had a breakfast. Pasti’s never meant to be the best, Pasti’s is only Pasti’s and doesn’t want to be more than this.

It's only Egg and Bacon but I like it!
It's only Egg and Bacon but I like it!

The place is all NY, but noone can say the service is bad, in fact waiters and waitresses are actually very polite for a NY standard. Food is not heaven, but Balthazar “home-made” breads make their point until getting a nice egg combination. Go there on sunday, specially if it’s sunny.

Book a table and don’t be late. Serious: you may have to wait for an hour if you don’t do so. Got late and want to come back later? Don’t. Pasti’s is worth it.

How to get there: Subway, Metro, Subte, etc. (it’s NY!)
Pasti’s, 9 – 9th. Avenue

Restaurantes de Brasília: mix nacional ou falta de identidade?

Brasília é uma das melhores cidades do Brasil para se comer. Nos últimos anos a cidade se convenceu que era grande (e cresceu muito graças à política “todo mundo comigo” do presidente Lula) e começou a pedir serviços de gente grande.

Nessa onda de demanda por boa qualidade e falta de opção local, Brasília está se transformando numa Praça de Alimentação de restaurantes de todas as partes do país, alguns com qualidade, outros que deixam a desejar.

Se você quer comer carne na Capital, pode ir ao Corrientes 348 (SP) ou ao Fogo de Chão (original de Porto Alegre). Ambos são boas opções, que tratarei aqui depois.

O Shundi de Brasília é Original só no nome
O Shundi de Brasília é Original só no nome

Se a sua opção for comida oriental, pode optar pelo novato Kojima, de Recife, o Original Shundi, que veio de SP ou as centenas de casas de temakis de média ou baixa qualidade na cidade.

Mangai Made In Natal (RN)
Mangai Made In Natal (RN)

Até na comida nacional, nossa capital teve que importar os multi-talentos do Mangai, original de Natal e o Bargaço, da Bahia – entre os principais. Todos eles figuram nas mais recentes listas dos melhores da cidade e eu discordo com quase todas as escolhas. São geralmente cópias sem o charme das originais. Ou sem o serviço. Ou ambos.

Afinal, essa mistura de gente de fora, que é a cara de Brasília, é boa ou ruim para a cidade? Será que os moradores ficam feliz com seus pratos “importados” ou estão deixando de conhecer – e fazer crescer – o talento da região?

 

Brasília tem muitas opções nascidas na cidade que merecem mais atenção do novo público da cidade… esse pessoal novo que mora agora em Brasília devia dar atenção pro Mestre Severrãn, pra Mara do Zuu (não a do Quitinete) e pro Simon do Aquavit (já reconhecidos pelos críticos, nem sempre pelo público)… enfim, vou tentar aqui escrever sobre esses cantinhos que todo morador de Brasília (o Bode agora é ex-morador) deveria conhecer.

First post in English: New York’s SOTO!

This is not a post. It’s a tribute to a small restaurant in a big city that exceeds the highest standards in japanese innovative food.

Soto rulz!
Soto rulz!

BTW, Soto won’t receive any review rates from me. It was all perfect.

Okay, let me try to explain it: Soto has no signs at the door. @ Sixth. Avenue near Washington Pl. someone may have some difficulty to find it out. I had. As my bad english is waaaaay better than 90% of NY’s taxi drivers, we spent some precious minutes rounding the restaurant before getting there.

When we arrived there, “Today’s Menu” was the first good impression. Everything was very polished and the huge place with small 7 tables was “crowded” by 10 customers… 😉

After some good decisions for starters, the waiter suggested the Steamed Lobster with Uni Mousse for us. Then I found light, enchantement, blah blah blah… this small dish was simply the best – ever – this goat ever tasted.

Small piece of Great Stuff!
Small piece of Great Stuff!

as you can see, it’s no big deal: Steamed Lobster With Uni Mousse layers of steamed main lobster and uni mousse in lotus wrap garnished with smoked uni and caviar (LOL – great stuff, huh?)

Service was perfect and SOTO has my whole heart forever! Go there plz and tell me if I’m lying! Okay, ratings are nice:

Rates:

Ambient: 4/5
Services: 5/5
Food: 5/5
Desert: no need 😉

Final Rate: 9,3!

Pricing: $$$$ / 5

Primeiro post em português: Vá ao Gero!

OK, ok … é meio decepcionante um bode começar de cara elogiando um restaurante, mas eu queria começar com um clássico que mexe com a cabeça (boca, quero dizer) das pessoas, principalmente o pessoal do Rio, já acostumado com esse tradicional restaurante.

Isso no Rio? Yep.
Isso no Rio? Yep.

 Quem já foi em alguma “coisa” dos Fasano sabe que vai ser bem atendido. Não foi diferente no Gero. O público-alvo é de 35+ anos, então eu estava meio novo pro ambiente, mas nada muito desconsolador. Boa entrada com ótimos drinks e muita expectativa pra comida…

… que estava perfeita. A massa do Gero é sensacional e o foie gras (pronto, agora todo mundo vai achar o post fresco e metido) foi “bom pra cacete” (pra dar um ar mais masculino pro blog 

na sobremesa, minha tradicional decepção com o tiramisu (que vai receber um post a parte) e a conta salgada, mas nada além do merecido.

Notas:

Ambiente: 5/5
Serviço: 5/5
Pratos: 5/5
Sobremesa: 3/5

Nota Final: 9,0!

Preço: $$$$ / 5